A Escola Secundária Afonso Domingues é o espelho da anedota que é Portugal



Andei seis anos, desde o 7º ao 12º ano, na Escola Secundária Afonso Domingues, em Marvila. A dita escola era frequentada pelos filhos da bimbalhada rude, bárbara e iletrada, que vinha das zonas rurais do distrito de Viseu para as fábricas em Lisboa, e que morava no antigo Bairro Chinês, um dos maiores amontoados de barracas em Lisboa; mas também era frequentada pelos luso-africanos que moravam no bairro da zona J de Chelas, que povoaram aquela zona nos anos oitenta, vindos das ex-colónias. A pitada de sal, era dada pela comunidade cigana, que vivia em bairros sociais como os da antiga zona N e zona M de Chelas.

Mas a escola não foi sempre este "melting pot" genético-cultural! A escola foi fundada em 1884 e teve alunos famosos como o escritor prémio Nobel, José Saramago. Foi durante o Estado Novo, uma referência no ensino técnico e profissional, nas áreas da mecânica e eletricidade. Aliás, a fachada ainda guarda a insígnia de Escola Industrial. Eu, nessa escola, tirei o curso de eletrónica e eletricidade, que após o secundário finalizado, tive de forma imediata, direito à carteira oficial de eletricista, passada pela antiga Direção Geral de Energia.

Todavia, temos o país entregue aos animais, e aos abutres, e o planeamento neste país é zero. A estória recente desta escola espelha a anedota que é Portugal.
  1. A escola em 2009 levou obras substanciais de melhoria e requalificação, com rede sem fios, salas novas, fachada nova, etc.
  2. Ora passado um ano de obras onerosas descobrem que lá passará o TGV, assim sendo encerram a escola, para que seja demolida.
  3. Agora já não se faz TGV, por causa da crise, e a escola, está ao abandono dos vândalos e está praticamente destruída por dentro.
Digam lá se isto não é anedótico, vejam as fotos de como está agora!!!









É o espelho do país que temos! Como é que se gastam milhares de euros em obras, para posteriormente se encerrar uma escola, por causa do projeto do TGV? E agora que o TGV não se faz, como é que se deixa assim o edifício ao abandono dos vândalos e dos indigentes? Não poderia ser reaberta, sendo uma escola com excelentes pavilhões para o ensino de cursos profissionalizantes, sendo que agora o governo até referiu que quer implementar o modelo alemão, no que concerne ao ensino de cursos mais especializados, área em que esta escola era sublime!

Já nem sei, se hei de rir ou chorar!

24 comentários:

  1. Andamos aqui ao saboe de governantes enlouquecidos pelo capitalismo. Soube agora que a escola está assim, estou em choque! Acredito que se nos agruparmos, poderemos ter voz e tentar salvar a Afonso ou pelo menos para já, evitar que os selvagens que a vandalizaram, façam ainda mais estragos. Este abandono é surreal, obra de gente enlouquecida, que nem sabe bem o que está a fazer. Alda Moreira (Afonsina não resignada).

    ResponderEliminar
  2. Andei nesta escola nos finais dos anos 80 no curso Técnico de Instalações Elétricas.... dói ver esta situação :-(

    ResponderEliminar
  3. Eu quase que choro ao ver a que estado chegou a escola onde andei 7 anos

    ResponderEliminar
  4. isto e uma tristeza.tao bons alunos que saiam de la,tao bons profissionais e chegamos a isto?este pais nao vale nada mesmo.minha rica escola,com tao bons profissionais a la trabalharem e bons alunos.doi ver isto assim.

    ResponderEliminar
  5. Se a escola está a saque, porque não nos juntamos e vamos nós não saquear mas pelo menos visitar e fotografar o pouco que ainda resta dessa escola. Eu andei lá durante 3 anos no curso técnico profissional de electrónica há pouco mais de 20 anos e parte-me o coração ver o estado em que essa escola chegou. Se alguém estiver interessado em reunir um grupo para visitarmos a escola por dentro contacte-me para o email [email protected] Juntamo-nos e vamos todos juntos despedirmo-nos daquela que foi a nossa escola antes que alguém se lembre de a demolir.

    ResponderEliminar
  6. Bom dia
    Por acaso alguem sabe inde se encintra o arquivo da Afonso Domingues para acesso e fotocopiar documentos de professores? obrigado

    ResponderEliminar
  7. Excelente artigo! E a realidade nua e crua! Merece uma peticao!

    ResponderEliminar
  8. Andei lá nos últimos dois anos antes de ela fechar, mas antes já conhecia a belíssima história de tao prestigiada escola.
    O meu avô andou na antiga Afonso Domingues, e o meu tio foi abrir a nova Afonso Domingues, na qual o meu pai andou e tirou o seu curso industrial, é uma escola que eu guardo com carinho por questões lógicas e pelos momentos que passei lá bons e também por ter conhecido lá a minha mulher.
    É com tristeza e lágrimas na cara falo da minha querida Afonso Domingues.
    Estamos entregues a abutres sem prespectiva de mudanças breves
    Cumprimentos a todos os Afonsistas

    ResponderEliminar
  9. Passámos hoje na Escola. Embora a ideia nao seja minha, porque nao fazer um encontro em dia a combinar, à porta, para se fazer uma visita ao interior e tentar salvar ou recolher algo de bom do pouco que resta? Nao entrámos para nao haver algum encontro indesejável. O portao central e o lateral direito estao com cadeado e corrente. o do lado esquerdo estava encostado. Se houver interesse, meu mail é o [email protected] o número de telefone é o 963469169.

    ResponderEliminar
  10. Andei nesta escola há 15 anos atrás. Já não era prestigiada e a sua má fama afastava os alunos com melhores notas, mas foi um prazer ter conhecido aquele lugar cheio de história e aquelas pessoas cheias de esperança (professores, funcionários e alunos). Já na altura se falava em fechar as portas por causa do TGV, mas pude concluir o 3º ciclo do básico antes de ficar sem outra opção senão mudar. Tenho, como é óbvio muita pena pelo estado em que se encontram as instalações, mas julgo que sozinhos pouco conseguiremos fazer. Talvez devêssemos tentar contactar a Junta de Freguesia de Marvila para alertar para esta situação. Enviarei agora mesmo um e-mail, reencaminhando o link desta notícia. Um bem-haja a todos e fico muito orgulhosa por saber que mesmo passado tantos anos ainda muitos alunos se lembram com saudade desta velha sábia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dores de parto do 25 de Abril. Uma escola que outrora foi uma referência no ensino, encheu-se de pretos, ciganos e bárbaros de Castro d'Aire. Essa gente, no estado novo sem qualquer tipo de educação, assim, "formou-se". Viva a Revolução de Abril! (não ironizo)

      Eliminar
  11. Eu frequentei-a entre 1963 e 1968. Grandes mestres que por lá leccionaram. Passei por lá há uns meses e magoou-me o coração ver o estado de abandono e degradação. Porque não aproveitar o muito que ainda está de pé e fazer um espaço de apoio a sem abrigo ou idosos negligenciados?

    ResponderEliminar
  12. Façam um protesto a pedir a reabertura da Escola

    ResponderEliminar
  13. A reabertura passa por reconstruçao, limpeza, desinfestaçao, saírem os que lá vivem, e muitos outros factores.

    ResponderEliminar
  14. Frequentei o curso de electricidade/eletrónica e concordo com a excelência deste artigo. Um boa escola donde sairam grandes profissionais. Choca-me o estado a que chegou e nada seja feito pelos responsáveis. Ainda gostava de ver reerguido este gigante de ensino.

    ResponderEliminar
  15. Ex alunos da Afonso Domingues, juntem-se ao grupo !!!

    https://www.facebook.com/groups/317901654976461/

    ResponderEliminar
  16. Eu também fui aluno na EIAD de 1958 a 1963 e lá fiz os cursos de Mecânica (diurno) e de Desenhador Industrial (noturno). Posteriormente prossegui estudos. Fiz um bacharelato e uma licenciatura em engenharia. Digo com muito orgulho que a EIAD foi uma base sólida para a minha vida profissional como engenheiro nas empresas e como professor do ensino superior, nomeadamente no ISEL.
    De facto, choca-me toda a sucessão de incompreensíveis acontecimentos que conduziram ao encerramento da Escola Industrial Afonso Domingues!
    Ainda recordo o nome de alguns dos meus professores e que passo a nomear como agradecimento e homenagem por tudo o que me ensinaram:
    Engº Poole da Costa, Engº Furtado Henriques, Engº Sousa Monteiro, Dr Pedro Machado, Dr Belarmino Barata, Dr Matias Filipe, Dr Mesquita Spranger, Mestre Otomando Machado e outros que a traição da memória já não me deixa referir.
    Bem hajam.
    Manuel António Pires Abraços
    [email protected]
    tm: 914 910 901

    ResponderEliminar
  17. Boa tarde.

    Gostaria de fazer um levantamento fotográfico da antiga Escola Industrial Afonso Domingues, alguém me sabe dizer a quem deva pedir autorização para entrar na escola e que ma possam abrir, dado estar fechada a cadeado?

    Obrigada.

    Com os melhores cumprimentos,

    Catarina Miranda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joao Pimentel Ferreira11 de abril de 2019 às 17:59

      Experimente na Escola D. Dinis, eles ficaram responsáveis pelos processos da escola Afonso Domingues.

      Eliminar
    2. Ainda hoje (19/07/2019) lá estive e o que encontrei foi uma equipa de filmagem e deparei com muita mágoa e tristeza o estado de degradação da melhor escola que eu conheci e tive o privilégio de frequentar.

      Eliminar
  18. Eu tambem foi la hà dois dias atras e encontrei o mesmo grupo. Tou interessando em propor um projeto pelo programa BIP/ZIP. Se alguem de voces estao tambem interessado, gostaria marcar uma reuniao para falar do assunto.

    Fabio - [email protected]

    ResponderEliminar