Iniciação madrilena


Correm os rios e enchem-se os mares
outros secam, e fica apenas sal
percorro os longínquos lugares
e no coração, trago Portugal

Embebedo-me em tabernas e bares
Redimo-me na cruz, leio o missal
Procura-te por dentro e quando te achares
retorna ao teu berço, ao teu ninho sacral

Escrevo por terras madrilenas
algures no passeio da Castelhana
Vejo-as belas e morenas

Percorro os braços de quem me ama
A minha doce mulher terna e amena
Nádia, amo-te, sacra e profana

Sem comentários:

Publicar um comentário