Velocidade virtual: a parábola dos dois irmãos!


O Manel e o Jaquim são dois irmãos que trabalham na mesma fábrica na zona urbana de Lisboa, e trabalham à jorna consoante a necessidade e a oportunidade de trabalho, ou seja recebem ao dia, começando o seu turno às sete da manhã.

Certo dia, recebem um convite de uma tia pela qual têm muito apreço, para irem os dois almoçar num sábado consigo na sua casa em Santarém, sendo o Manel e o Jaquim os seus dois únicos sobrinhos. Lembremo-nos que os irmãos recebem ao dia. Sucede que ambos já têm despesas certas impreteríveis pelo menos até ao salário de quinta-feira, chegando à sexta-feira de manhã cada um com zero euros no bolso.

O Manel, homem de trabalho, naturalmente trabalha arduamente toda a sexta-feira na fábrica, no seu turno de 8 horas das 7h às 16h. Recebe por esse dia de trabalho o equivalente diário ao salário mínimo nacional, ou seja 20€. No sábado de manhã, dirige-se à bilheteira de Santa Apolónia, e compra um bilhete de comboio para poder estar às 11h30 na casa da tia em Santarém, tendo pago pelo mesmo 20€, ou seja o que tinha ganho no dia anterior.

Ora o Jaquim, sempre foi um homem mais ponderado e racional. Quando naquela sexta-feira de manhã saiu de casa perto das 6:00 com a sua marmita, olhou para o trajeto que lhe levava até à fábrica, parou e pensou duas vezes. E em vez de seguir o trajeto normal que fazia todos os dias, seguiu diretamente a pé até Santarém ao longo dos 70km que separavam a sua casa, da casa da sua tia. Demorou cerca de 14 horas, mas foi dos passeios mais agradáveis que teve na vida. Almoçou e descansou à sombra de uma árvore na lezíria da Azambuja durante uma pausa da uma hora e pode contemplar de perto a natureza. Perto das nove horas da noite, estava a bater à porta da sua tia, que naturalmente ficou felicíssima por o ver com um dia de antecedência, tendo-lhe oferecido jantar e guarida.

No sábado de manhã estavam os três juntos a almoçar e a debater qual dos dois teria sido o mais rápido.

Sem comentários:

Publicar um comentário